terça-feira, 6 de novembro de 2012

Cerveja no café da manhã

Agora de volta à (chuvosa) Dinamarca, mais uma das minhas anedotas.

8h30 da manhã (de ontem), acabo de desembarcar no aeroporto de Copenhague. Virei a noite anterior trabalhando com o Renan Artur Pretto em casa em Utrecht. 

Não havia comido nada no voo de Amsterdã a Copenhague. Primeiro motivo: dormi o voo todo. Segundo motivo: apesar de acordado pela aeromoça, café da mahã era pago. Só café era "grátis": apesar de apreciador confesso de café (dizer viciado é muito feio), recusei. Melhor dormir.

Bom, voltando. Chegada em Copenhague. Fome.

Café da manhã mais barato no aeroporto, em torno de 10 euros. "Dá para aguentar até Aarhus (onde estudo e divido residência)", penso.

Um pouco de caminhada, e a oferta aparece: por 6,50, cachorro-quente mais cerveja. 

"Cerveja, óbvio que não!", reflito. "Não no café da manhã". 

"Quanto é só o sanduíche?", pergunto para o atendente.
"25 coroas", responde (perto de 3,50 euros).
"Eu quero um".
"Algo para beber? Uma cerveja?"
"Hein?!", penso. "Ele ofereceu cerveja mesmo a essa hora?!"

"Não, não. Não precisa nada", respondo.

Pego meu cachorro-quente - lembre-se, 8h30 da manhã - e vou para a mesinha ao lado da lojinha. E a prova do crime: mais garrafas de cerveja vazias do que de refrigerante.

Mais do que isso: o braço que aparece na foto, à direita, é de um dos dois senhores que preferiram a oferta do cachorro-quente + cerveja. 

Às 8h30.

Tá explicado porque os dinamarqueses são conhecidos como o povo com maior consumo per capita de cerveja no mundo.

Quem acompanha?

-
Publicação original: http://on.fb.me/RD5QEd
Foto: Marcel van Hattem

Nenhum comentário:

Postar um comentário