domingo, 28 de outubro de 2012

Encontro com Tante Elly

 (Histórias da minha formatura - II)

Tante Elly tem 94 anos de idade. 

É a única familiar com quem tenho contato aqui na Holanda. A ida de meu avô ao Brasil foi nos anos 1960, o contato com a Holanda praticamente se perdeu. 

Tante Elly é minha tia avó. Daí o tante, que significa tia, em holandês.

Tante Elly gostaria de ter ido na minha formatura, mas estava um pouco doente durante essa semana. "Um resfriado", disse ela. "Mas em geral em toda minha vida fiquei muito poucas vezes doente", orgulha-se. Fiz convite especial, mas infelizmente não pôde ir.

Ela mora em Epe, uma cidadezinha que, aliás, fica próxima da cidade chamada Hattem. "10 minutos de ônibus", disse. Mas ela é irmã da minha avó, o Hattem da família era meu avô holandês - nada (ou pouco) a ver, pois.

Tante Elly ADORA fotos. E, lógico, levei as fotos da minha formatura hoje para ela ver, no lar em que ela vive. "O, wat leuk!", disse ela o "Oh, que legal!" em holandês. 

"E quem são esses na foto?". Tante Elly tem alguns problemas de memória. Também pudera: 94 anos é quase 100!. "Escreve por favor atrás da foto quem são as pessoas nelas?".

E escrevemos. Meu pai, na verdade, escreveu.

Lembro-me de Tante Elly desde a minha infância. Sempre - SEMPRE! -, todos os anos, se havia alguém que não esquecia de mandar no meu aniversário um cartão era ela. Diretamente da Holanda. 

Igual para meus irmãos, ela não falhava nunca. Também não falhava com meus primos.

Solteira, era a irmã mais próxima da minha falecida avó holandesa, que emigrou ao Brasil. Tante Elly chegou, aliás, a visitar o Brasil algumas vezes. 

"Viajei a muitos países ao redor do mundo, mas agora já não tenho mais 20 anos". Mesmo assim, vai ao supermercado e caminha com o seu "rolator" nas redondezas, um andador com rodas que, me disseram, ainda não tem no Brasil.

"E lê o jornal também, Tante Elly?".

"Leio o jornal daqui da região, mas tem notícia nacional da Holanda também. Gosto de acompanhar o que está acontecendo todos os dias".

E, assim, a ausência dela na formatura foi compensada com um excelente encontro na sua própria residência, em uma das áreas mais lindas da Holanda, quando mostrei as fotos da minha formatura de quinta-feira em Leiden.

"Adorei que vocês vieram, que ótima surpresa! Não quer tirar uma foto minha ainda para mandar ao Brasil?"

Pois, claro! Aqui está uma delas.

Publicação original: http://on.fb.me/S2iWsx 

Parte II

Para que complicar?

Como eu dizia, a Tante Elly é uma querida.

Minha tia avó holandesa, 94 anos, estava na sala comum do lar em que mora.

Era hora do almoço - e, hora do almoço na Holanda é hora de comer sanduíche e tomar um copo de leite.

"Mas é melhor vocês irem para o quarto dela", disse a funcionária do local. "Vocês podem conversar melhor".

"Claro", dissemos o pai e eu juntos.

Ela se levantou e foi, devagarzinho, nos conduzindo ao seu apartamento. 

Sentou-se à mesinha para três e convidou nós dois para sentarmos também. Em seguida veio da cozinha um prato com três sanduíches.

"Queijo ou hagelslag (hagelslag é chocolate granulado, coloca-se no pão aqui na Holanda)", perguntou para nós, e acrescentou: "Aqui é tudo simples: não adianta fazer complicado se é possível fazer do jeito fácil". Em holandês: "niet moeilijk doen als het makkelijk kan".

Que belo dia. Bonito e gostoso, com sanduíches, um copo de leite e a companhia de meu pai e da Tante Elly.

Simples.

Afinal, "niet moeiljik doen als het makkelijk kan".

-
Publicação original: http://on.fb.me/YaUqZE
Fotos: Rintje van Hattem

Nenhum comentário:

Postar um comentário