sexta-feira, 19 de outubro de 2012

As apostas para o Nobel da Paz


Acabei não postando no meu blog ainda o texto que foi aproveitado pelo Estadão sobre as apostas para o Nobel da Paz. Curiosidades colhidas antes do início da coletiva de imprensa, em Oslo, Noruega. Segue:

As apostas para o Nobel da Paz 

Notícia da escolha da União Europeia vazou minutos antes do anúncio oficial; jornalistas davam palpites

Marcel van Hattem, especial para o estadão.com.br

Jornalistas de todo o mundo estiveram presentes ao
anúncio: "Vai ser a União Europeia"
OSLO - O Nobel da Paz é um prêmio muito visado - também por quem gosta de uma aposta. Entre os jornalistas presentes na manhã desta sexta-feira, 12, na coletiva de imprensa realizada em Oslo, ouvia-se de tudo. "Há expectativa de que ganhe a ONG russa Memorial, que defende direitos humanos e democracia no país", contava Olesya Goncharenko, repórter da Agência russa Itar-Tass.

No lado oposto da sala estava o famoso homem que, segundo uma repórter sueca, revelou a premiação do então recém-eleito presidente dos EUA, Barack Obama, em 2009. O homem deu o palpite certeiro antes de o prêmio ser anunciado. "Temos nossos contatos que sempre ajudam, já acertamos outras vezes, mas o anúncio antecipado da escolha do presidente Obama foi especial", relatou Oyvind Brigg, âncora do canal TV2, da Noruega.

"Não será um chinês", garantia Guorong Li, da agência de notícias Xinhua, de Pequim. "Já ganhamos o Nobel de Literatura esta semana".

Interrompendo a própria fala, Guorong anunciou, com calma oriental: "Vai ser a União Europeia". E revelou a fonte: "A notícia acaba de ser vazada pelo twitter da TV pública norueguesa NRK", disse, enquanto encarava a tela de seu iPad, repleta de caracteres chineses. Retuitei.

Com 40 minutos de antecedência, às 10h20 , a mais secreta das premiações do mundo teve seu vencedor revelado e retuitado por agências e órgãos de imprensa no mundo todo.

Apesar disso, muitos ainda colocavam a informação da NRK sob suspeita. "Acho pouco provável. Todo ano falam em União Europeia, não sei por que seria agora", dizia a freelancer Valeria Criscione, americana baseada em Oslo.

Aposta errada. Neste ano confirmou-se, como em 2009, o vazamento feito pela imprensa norueguesa: o agraciado foi mesmo a União Europeia. "Estou um pouco desapontada", admitia a jornalista russa no final do evento em que se fez o anúncio oficial. "Mas, tudo bem", resignou-se.

Nenhum comentário:

Postar um comentário