segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Assaltos: "obstáculos" a mais no Brasil

Meu irmão Christiaan van Hattem foi assaltado no sábado em Campinas. Reagiu e foi agredido. Está bastante , principalmente no rosto e cabeça, ouvi da mãe por Skype, mas está bem. Não levaram nada dele no fim. Ele foi a Campinas só para fazer o TOEFL - exame de inglês. Uma pena que essas coisas sejam do dia a dia no Brasil.

Eu já fui assaltado umas cinco vezes. Se incluir roubo e furto, passa disso. Nunca reagi a assaltos, até porque sempre os bandidos anunciaram porte de arma, quando não a mostraram (diferente do caso do Christiaan). Mas entendo bem também a revolta de quem reage. Essa história de "jamais reagir" só dá mais segurança ao bandido. Queria ver se todos estivessem preparados para se defender mais e melhor, se não seriam menos abusados. Isso sem contar que, se no Brasil tivesse mais segurança pública e respeito à ordem e às leis, em todos os níveis, a coisa seria muito diferente. Triste tudo isso, sou solidário com meu irmão e com todos que passam por esse constrangimento. E o pior: muitos infelizmente não sobrevivem para contar.

O Christiaan está no aeroporto esperando o voo de volta de Campinas. Vai virar a noite lá aguardando. É super dedicado e esforçado. Sabe que a dedicação e o esforço dele compensarão no futuro. Mas é lastimável que obstáculos como o da violência no Brasil se somem aos desafios naturais da vida.

(texto escrito na madrugada de sábado para domingo, na Holana).

Nenhum comentário:

Postar um comentário